Portal de Notícias Casa A+

Terça-feira, 23 de Julho de 2024

Notícias Saúde

Tocantins tem dois municípios considerados prioritários no Programa Brasil Saudável

Iniciativa inédita visa eliminar 14 doenças que impactam comunidades carentes, alinhando-se a metas globais de saúde e desenvolvimento sustentável

Tocantins tem dois municípios considerados prioritários no Programa Brasil Saudável
Comissão CIEDDS Casa A+
Imagens
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A importância das duas cidades do Tocantins, Palmas e Araguaína, selecionadas para participar do Programa Brasil Saudável, é destacada pelo elevado impacto das doenças determinadas socialmente em suas populações. Essas cidades foram identificadas como prioritárias devido à alta incidência de duas ou mais dessas doenças. Sua inclusão no programa ressalta a necessidade de atenção especial a regiões onde as condições de vulnerabilidade social contribuem significativamente para a propagação e o agravamento dessas enfermidades. Dessa forma, Palmas e Araguaína assumem um papel crucial na implementação das ações do Brasil Saudável, servindo como exemplos de como o programa busca enfrentar os desafios de saúde pública em áreas onde a vulnerabilidade social é um fator determinante.

 

 

 

 

Brasil lança Programa Brasil Saudável para combater doenças em populações vulneráveis

O Brasil tornou-se o primeiro país do mundo a implementar uma política governamental voltada para a eliminação ou redução de 14 doenças e infecções que impactam de forma significativa as populações em situação de vulnerabilidade social. O programa, denominado Brasil Saudável, foi lançado pelo governo federal após a assinatura de um decreto pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e pela ministra da Saúde, Nísia Trindade. O evento ocorreu durante a visita do diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom, ao Brasil. As informações foram obtidas no portal de notícias do Ministério da Saúde do Brasil.

Essa iniciativa marca um marco internacional, alinhando-se com as metas globais estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) por meio dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 e à iniciativa da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) para a eliminação de doenças nas Américas.

O Comitê Interministerial para a Eliminação da Tuberculose e Outras Doenças Determinadas Socialmente (CIEDDS) identificou 175 cidades prioritárias em todo o país, devido à alta incidência de duas ou mais doenças determinadas socialmente. No estado do Tocantins, as cidades de Palmas e Araguaína foram selecionadas para receberem prioridade no programa.

Entre os anos de 2017 e 2021, mais de 59 mil pessoas perderam suas vidas devido a doenças determinadas socialmente no Brasil. A meta do programa é eliminar a maioria dessas doenças como problemas de saúde pública, incluindo malária, doença de Chagas, tracoma, filariose linfática, esquistossomose, oncocercose, geo-helmintíase, além de cinco infecções transmitidas verticalmente (sífilis, hepatite B, doença de Chagas, HIV e HTLV). O programa também visa atingir as metas estabelecidas pela OMS para o diagnóstico, tratamento e redução da transmissão de tuberculose, hanseníase, hepatites virais e HIV/AIDS.

O Brasil Saudável é resultado da criação do CIEDDS em abril de 2023. Essa ação inovadora reforça o compromisso do governo brasileiro em acabar com doenças e infecções perpetuadas pela pobreza, fome e desigualdades sociais no país. Reconhece-se que garantir o acesso ao tratamento médico não é suficiente para alcançar essas metas. É essencial propor políticas públicas intersetoriais que visem à equidade em saúde e à redução das desigualdades sociais, aspectos diretamente relacionados às causas subjacentes do problema.

Para implementar o programa, o Ministério da Saúde e outros 13 ministérios do governo federal irão atuar em várias frentes, incluindo o combate à fome e à pobreza, a ampliação dos direitos humanos e da proteção social, a qualificação de trabalhadores e movimentos sociais, o incentivo à inovação científica e tecnológica para diagnóstico e tratamento, e a ampliação das ações de infraestrutura e saneamento básico e ambiental. A expectativa é que essas medidas reduzam o risco de doenças entre os grupos mais vulneráveis e melhorem os resultados do tratamento para aqueles afetados, reduzindo custos e melhorando a eficácia dos serviços de saúde.

O Programa Brasil Saudável será coordenado pelo Ministério da Saúde, por meio do CIEDDS, e contará com a colaboração dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação; do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome; dos Direitos Humanos e da Cidadania; da Educação; da Igualdade Racial; da Integração e do Desenvolvimento Regional; da Previdência Social; do Trabalho e Emprego; da Justiça e Segurança Pública; das Cidades; das Mulheres; do Meio Ambiente e Mudança do Clima; e dos Povos Indígenas. Além disso, está prevista a estabelecimento de parcerias com movimentos sociais e organizações da sociedade civil para fortalecer a implementação das ações nos municípios prioritários.

FONTE/CRÉDITOS: Ministério da Saúde
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, responderemos assim que possível ; )